A PARÁBOLA DOS TALENTOS

por Fernando "Eagle" de Sousa

Mateus 25:14-30 e Lucas 19:11-27
1 QUEM ERA O HOMEM E QUAL A RAZÃO DA VIAGEM DELE?
1.1 “Certo homem nobre partiu para uma terra remota…” Lucas 19:12a;
1.2 “…a fim de tomar para si um reino e voltar depois. “ Lucas 19:12b.

2 ELE CONFIOU-LHES OS SEUS BENS:
2.1 Ele distribuiu conforme a capacidade de cada um;
2.2 Ele os conhecia, já os havia avaliado;
2.3 Ele havia determinado níveis de confiança, provavelmente baseado em experiências anteriores.

3 AS CARACTERÍSTICAS DE CADA UM DOS SERVOS:
3.1 O primeiro, que recebera cinco talentos (+/- R$ 27.535.750,00) não gostava de perder tempo e sai logo pra negociar:
3.1.1 Intrépido (não tem medo dos riscos);
3.1.2 Ágil, não perde tempo;
3.1.3 Esse cara era bom, acreditava naquilo que fazia de tal forma que seu senhor sabia que no mínimo receberia os cinco talentos de volta, mas ele foi melhor ele superou as expectativas e dobrou o capital inicial, negociar era a arte dele;

3.2 O segundo recebeu dois talentos (+/- R$ 11.014.300,00) parece que não possuía a mesma empolgação do primeiro, mas saiu e com algum esforço (talvez não tivesse a mesma habilidade) e conseguiu dobrar o capital a ele confiado:
3.2.1 Observador, deve ter visto o que o primeiro cara fez e copiou o modelo;
3.2.2 Era esforçado, talvez pra compensar a sua falta de talento, mas corria atrás do prejuízo;
3.2.3 Ele aprendeu que ficar parado não gerava lucro, movimentou-se e talvez tenha se saído melhor do que ele mesmo esperava.

3.3 O terceiro recebeu um talento (+/-R$ 5.507.150,00) apenas, talvez tenha ficado decepcionado com o grau de confiança que o seu senhor depositava nele, o que ele não sabia é que esse grau poderia se multiplicar ou diminuir, conforme a desenvoltura dele para com aquele único talento:

3.3.1 Esse terceiro, poderia ter se comportado como o primeiro, e até igualado os ganhos ao segundo, mas não possuía habilidade, não se esforçou, e pior não possuía senso prático (se tivesse depositado o dinheiro a juros, o rendimento talvez o salvasse);
3.3.2 Optou por organizar outra estratégia, a de adulação e bajulação, própria dos incompetentes e preguiçosos, preferiu enterrar e esconder o que lhe havia sido CONFIADO, dessa forma achava que estava criando uma linha defensiva, mas estava vivendo na mediocridade. (Pacto da mediocridade);
3.3.3 Ele desconhecia totalmente a personalidade do seu senhor, talvez porque nunca tivesse intimidade com o mesmo, ele o via sempre como um ser severo, o que pode ser constatado pelo texto “Eu sabia que o senhor é um homem severo, que colhe onde não plantou e junta onde não semeou”

4 LIÇÕES A SEREM APRENDIDAS
4.1 Ser ágil e intrépido como o primeiro servo;
4.2 Se não houver possibilidade ser esforçado e observador como o segundo servo;
4.3 Jamais em tempo algum ser um preguiçoso e bajulador como o terceiro servo, e procurar conhecer bem o seu senhor para saber de verdade, o que espera de você.

5 SUBSIDIOS PARA COMPREENSÃO
Em 26/06/2013 1g de ouro = 93,50 (Fonte: http://ourohoje.com/ )
Logo: 01Kg = R$ 93.500,00
Então: 01 talento 58,9Kg => R$ 93.500,00 x 58,9 = R$ 5.507.150,00
1º Servo => 05 talentos => R$ 5.507.150,00 x 5 = R$ 27.535.750,00
2º Servo => 02 talentos => R$ 5.507.150,00 x 2 = R$ 11.014.300,00
3º Servo => 01 talentos => R$ 5.507.150,00 x 1 = R$ 5.507.150,00

Talento (do latim: talentum, do grego antigo: τάλαντον, talanton, significando “escala”, “balança”) era uma unidade da antiga Mesopotâmia para grandes quantidades de massa, sendo criada na Suméria, e consolidada por volta do Século XXIII a.C.. Foi usado em toda a Antiguidade com poucas variações de peso: Grécia, Roma, Egito, Israel, Babilônia, Suméria e Acádia. O talento já era usado na mesopotâmia e em Israel, mas foi a partir da introdução do talento na Grécia Antiga e posterior adaptação para o sistema romano, é que essa unidade se disseminou para o mundomediterrâneo.
O talento usado nos tempos do Novo Testamento pesava 58,9 kg (130 lb)3 . Os hebreus chamavam o talento de kikkar.
Para se ter uma ideia da riqueza dos aristocratas romanos, pode-se citar os exemplos dos dotes atribuídos a uma rapariga à altura do seu casamento, que variavam entre 50 a 300 talentos, normalmente de ouro. Júlia Cesaris, a filha de Júlio César, foi dotada com 100 talentos de ouro no seu casamento com Pompeu. Esta quantidade corresponde a cerca de 3,6 toneladas de ouro (~410 milhões de reais ou ~152 milhões de euros em moeda atual). (Fonte: http://pt.wikipedia.org/wiki/Talento_(moeda) )

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: